Ligue-nos / Call us: 282 457 018

Doença Periodontal

Doença Periodontal

Cerca de 3 em cada 4 pessoas sofrem de alguma forma de “doença das gengivas”. A designação correta é “Doença Periodontal”, ou seja, do periodonto, que são os tecidos que envolvem e suportam os dentes (gengivas, osso e ligamento periodontal).
 

As doenças periodontais dividem-se em dois grupos:

Gengivite
Há apenas inflamação da gengiva e é facilmente tratável. São muito frequentes e muitas vezes passam despercebidas porque não provocam dores.

Periodontite
Todos os tecidos periodontais são afetados e há destruição irreversível do osso e do ligamento que suportam os dentes. Com o tratamento o processo destrutivo é detido. Se não se efetuar o tratamento, os dentes vão perdendo o seu suporte, podem abanar e até cair.

Quais as causas?
As gengivites e as periodontites são infeções. São provocadas por bactérias da placa bacteriana (que é a massa esbranquiçada que se vai acumulando sobre os dentes ao longo do dia). Se esta placa não for removida com a escovagem (2 vezes por dia no mínimo), acumula-se e calcifica, formando o tártaro. O tártaro como é rugoso e está colado aos dentes leva a que mais placa bacteriana se forme e dificulta a limpeza. Neste ponto, quando temos tártaro e a escovagem já não consegue fazer uma limpeza eficaz, é necessário fazer uma destartarização ou uma limpeza mais profunda.

Só algumas das bactérias da placa bacteriana é que provocam as doenças periodontais: as que se acumulam no sulco que existe entre a gengiva e o dente.

Quem é afetado?

Gengivite
Toda a população está em risco de desenvolver Gengivite, caso, ao lavar os dentes, não remova eficazmente a placa bacteriana do sulco existente entre a gengiva e o dente. Fatores que podem agravar as gengivites:

  • Gravidez, puberdade e contracetivos;
  • Alguns medicamentos;
  • Próteses ou restaurações mal desenhadas que dificultam a higiene oral.

Periodontite
Nem todos os indivíduos com má higiene oral e Gengivite desenvolvem Periodontite.

O que determina a destruição dos tecidos de suporte dos dentes é uma característica das defesas da gengiva de cada indivíduo, chamada “suscetibilidade” ou tendência para a infeção do periodonto, que herdamos da nossa família.

Para além disso, há situações em que a suscetibilidade à periodontite está aumentada:

  • Tabagismo;
  • Stress emocional;
  • Diabetes e outras doenças que levam à diminuição das defesas.

Em geral, as periodontites, não provocam quaisquer dores, mesmo em casos avançados: são doenças muito “silenciosas”. As Periodontites (antigamente conhecidas por “piorreia”) são a principal causa de perda de dentes nos adultos.

Existem riscos para a saúde geral?
Atualmente sabe-se que a Periodontite pode colocar-nos numa situação de risco acrescido para certas doenças sistémicas, na medida em que são infeções de longa duração. As doenças em que esta associação está mais comprovada são:

  • Diabetes;
  • Doenças Cardiovasculares.

Quais os sinais de alarme?
Muitas vezes esta doença passa despercebida porque não provoca dor.

É necessário estar atento a:

  • Gengivas que sagram espontaneamente;
  • Gengivas que sagram à escovagem (o que muitas vezes não notamos pois tendemos a evitá-lo, como defesa, o que só agrava o problema);
  • Gengivas vermelhas e aumentadas de volume (“inchadas”);
  • Gengivas “deslocadas” dos dentes;
  • Dentes “descarnados” (raízes expostas);
  • Dentes que mudaram de posição ou que ficaram inclinados.

Como se desenvolvem as Doenças Periodontais?

A gengiva saudável é fina, firme e não sangra (nem com a escovagem).

Ainda que não tenhamos consciência disso, existe um sulco com cerca de 2 mm entre a gengiva e o dente (sulco gengival). Nas radiografias é visível o osso suportando toda a raiz.
Gengivite

Por desconhecermos a existência do sulco gengival, facilmente deixamos acumular aí placa bacteriana: a gengivite surgirá por esse motivo. A gengiva inflama para se defender desta infeção, fica avermelhada e sangra com facilidade. Esta hemorragia pode ser detetada pelo doente ao escovar as gengivas ou pelo dentista.

Como apenas a gengiva esta afetada, nas radiografias o osso vê-se intacto.

Tratamento de Gengivite na Clínica PRIVÉ

 

Periodontite
Nos indivíduos com “suscetibilidade”, se a Gengivite não for tratada, evolui para Periodontite. Na Periodontite, os tecidos que suportam o dente (osso e ligamento que une a raiz a este) são destruídos ao “fugir” da placa bacteriana e os dentes ficam com mobilidade. O sulco gengival transforma-se em bolsa periodontal, com placa bacteriana, pus e tártaro sobre as raízes. Nas radiografias é visível a destruição óssea. 

Tratamento de Periodontite na Clínica PRIVÉ

 

Será possível evitar o aparecimento das doenças Periodontais?
Sim. Limpando com eficácia a placa bacteriana que se acumula entre os dentes e as gengivas.

Como?
Escovando os dentes pelo menos 2 vezes por dia e utilizando um dentífrico com flúor.

  • É importante que coloque a escova de forma a que os filamentos entrem no sulco gengival.
  • Escove todas as superfícies, pelo lado de fora (dos lábios e bochechas) e pelo lado de dentro (da língua e palato ou céu da boca), em pequenos movimentos de vai-vém.

É necessário também limpar os espaços entre os dentes. A limpeza interdentária deve ser efetuada 1 vez por dia, com fio / fita dentária ou, se os espaços forem largos, com escovilhões interdentários.

Tratamento

Ao contrário da gengivite, que habitualmente desaparece com um bom cuidado oral, a periodontite requer um tratamento profissional. O doente que pratique uma boa higiene dentária consegue limpar somente 2 mm abaixo da linha gengival.

O médico dentista pode limpar os orifícios até 5 mm de profundidade, usando um raspador e uma escova de raízes que retira a fundo o tártaro e a superfície doente da raiz. Para os orifícios de 6 mm ou mais requer-se, frequentemente, um tratamento cirúrgico. É também possível tirar a porção solta das gengivas, de modo que o resto possa aderir de novo e de forma firme aos dentes, permitindo assim a limpeza da placa bacteriana em casa.

O médico dentista pode prescrever antibióticos, especialmente no caso de abcessos. Nos orifícios profundos podem colocar-se filamentos impregnados de antibiótico, para que uma concentração alta do fármaco possa alcançar a área doente. Os abcessos periodontais causam um surto de destruição óssea, mas o tratamento imediato com cirurgia e antibióticos pode contribuir para a regeneração de grande parte do osso danificado. Enquanto a boca permanecer inflamada depois da operação, enxaguar a boca com clorohexidina durante um minuto duas vezes por dia pode substituir temporariamente a escova de dentes e o fio dental.

Espalhe a Palavra...

Close Menu