Ligue-nos / Call us: 282 457 018

Halitose

Halitose

Halitose é o termo empregue para descrever qualquer alteração do hálito. Deriva do latim halitos (ar expirado) e osis (alteração patológica).

Existe cada vez mais a consciência das causas orais do mau hálito, fazendo com que procurem o seu Médico Dentista para prevenir e tratar este problema. É um problema que pode atingir qualquer pessoa em qualquer idade, embora afecta mais os homens do que as mulheres. A prevalência deste problema pode chegar aos 49,5%, segundo um estudo recente com uma amostra de 99 indivíduos. A prevalência de halitose no sexo masculino foi de 69,7% versus 39,4% no sexo feminino. Porém estudos internacionais, com uma amostra maior, indicam que o número de casos (prevalência) varia entre os 50 e 60%.

A prevenção e tratamento do mau hálito de origem oral passa pela correcta escovagem dentária associada à higiene da língua, utilização do fio dentário, e colutórios orais, principalmente aqueles que contêm agentes antibacterianos como clorohexidina e cetilpiridínio ou contendo agentes como acetato de zinco. Estes parecem ter os melhores resultados na redução do mau hálito, sublinhando que devem em primeiro lugar ser tratadas todas as causas possíveis de mau hálito de origem intraoral (cáries, gengivites, periodontites, e outras causas orais).

A halitose, ou o mau hálito como é mais conhecida, é um problema muito comum e pode afectar mulheres e homens de todas as idades. Apesar de não ser uma doença pode conduzir à diminuição da auto-estima e ser um factor perturbador das actividades sociais.
 

As várias causas

Como se disse anteriormente, a halitose pode envolver causas orais e/ou não-orais. Porém, “mais de 75% dos casos têm origem na cavidade oral e as causas mais frequentes são a má higiene, língua saburrosa (também conhecida por língua branca por nela se formar uma placa bacteriana esbranquiçada), patologia periodontal (gengivite, periodontite) e hiposalivação (pouca produção de saliva). As causas não orais da halitose incluem maioritariamente doenças do aparelho respiratório superior e inferior, patologias do aparelho gastrointestinal, doenças metabólicas (diabetes mellitus), hábitos alimentares (jejum prolongado, ingestão de alimentos ricos em odor) e alguma terapêutica farmacológica com compostos ricos em enxofre.

Uma boa higiene oral será sempre o primeiro passo para manter afastado o mau hálito. Cáries e doenças gengivais são muitas vezes um dos principais motivos que podem causar o mau odor.

 

O mau hálito ao acordar é bastante comum e verifica-se na maioria das pessoas sem que seja um motivo de preocupação. Caso seja frequente durante todo o dia, poderá estar relacionado com problemas saúde e não deve ser ignorado.

Para uma boa saúde oral diária, deverá escovar os dentes duas vezes ao dia e usar o fio dentário pelo menos uma vez. A utilização do fio dentário é extremamente importante pois ajuda a remover as bactérias e a placa bacteriana nos espaços interdentais e infra gengivais, zonas de difícil acesso apenas com a escovarem. 

Na língua também existem inúmeras quantidade de bactérias que provocam o mau hálito e precisam ser eliminadas. Para tal pode utilizar a escova dentária com movimentos suaves em toda a superfície da mesma, ou então um raspador próprio para o efeito garantindo uma limpeza mais eficaz. Caso opte pela primeira opção, certifique-se que os filamentos da sua escova dentária são suficientemente macios de modo a não ferirem a língua.

Também não deve descuidar as visitas ao dentista, mesmo que não exista um motivo para lá ir. Os dentistas não servem apenas para socorrer quando algo está mal ou se sente dor. Nunca se esqueça, são os check-ups de rotina que ajudam a prevenir males maiores!

O consumo excessivo de açúcar pode provocar o mau hálito, devendo por isso evitá-lo. As bactérias que existem na boca fermentam o açúcar, potenciando o mau odor. Tenha em atenção que quando come pastilhas ou rebuçados, que lhe dão uma sensação de hálito fresco, está na realidade apenas a camuflar o problema e a contribuir para que este se torne mais intenso.

A desidratação é outro factor que contribui para a halitose. As enzimas da saliva actuam como uma protecção contra as bactérias e a falta da mesma poderá ser consequência de uma má hidratação. A ausência ou pouca quantidade de saliva reflecte-se num maior número de bactérias na cavidade oral, causando mau odor. Procure beber bastante água durante o dia, pois ao manter-se hidratado estará também a estimular a secreção de saliva.

Tenha especial atenção às causas da desidratação! Se apesar de beber bastante água continua a sentir a boca desidratada, isto poderá dever-se a algum tipo de medicação que está a fazer e, nesse caso, necessitará da opinião do seu dentista para saber qual a melhor maneira para manter a sua boca hidratada.

Se sentir que a boca seca ocorre com maior frequência quando acorda, talvez seja o reflexo de algum tipo de problema respiratório, como por exemplo a apneia do sono. Nesse caso deverá também procurar a ajuda de um médico.

Espalhe a Palavra...

Close Menu